banner-spotlightconcertos/músicacultura

Chassol no Teatro da Trindade INATEL

This post is also available in: English (Inglês)

O compositor e pianista francês Christophe Chassol esteve no Teatro da Trindade INATEL, no dia 27 de outubro, com o seu mais recente projecto, acompanhado por Mathieu Edward na bateria.

Seu currículo é rico em colaborações, mas Chassol destaca-se pelo trabalho com uma técnica muito específica: o “ultrascore”. A sua ambição inicial era escrever para o cinema, combinando som e imagem para produzir música para filmes de Jerry Goldsmith, Michel Magne ou Quincy Jones, entre outros. Em meados dos anos 90, Chassol praticamente desapareceu, mergulhou no mundo da produção cinematográfica e, durante 15 anos, compôs para o grande ecrã, para a televisão e para a publicidade.

Entre a produção de jingles para publicidade, o artista tornou-se maestro entre 1994 e 2002 e descobriu o mundo da música pop ao acompanhar Sebastien Tellier e o Phoenix in Politics (2004).

Uma das consequências dessas trocas musicais é a dualidade que criam entre a vanguarda e a ambição pessoal. Discípulo, este parisiense gosta de se distanciar dos caminhos mais esperados como se pode ver em “Nola Chérie“, o seu primeiro filme, que falava da capital da música ao vivo. Foi lá que filmou e gravou sons e músicas: escolas em desfile, músicos amadores e profissionais, poetas … Uma ode à cidade que se tornou, como ele diz, uma “fanfharmonização“.

O concerto no Teatro da Trindade INATEL arrancou por volta das 21 horas, com Chassol ao piano e teclado e Mathieu Edward na bateria. Foi um excelente concerto que uniu música e vídeo criando uma composição artística cheia de paixão e talento. Pudemos ouvir e ver temas como “Music Is God My Love”, “Savana, Céline, Aya, Pt.1”, “Reich & Darwin” e “Odissi, Parte III”.

 

Ciclo Mundos

Desde 2016, no âmbito de uma parceria global com o Festival Músicas do Mundo de Sines, que a Fundação INATEL promove, em Lisboa, no Teatro da Trindade INATEL a iniciativa musical Ciclo Mundos, programa anual que abre caminho e dá espaço à música que se faz no mundo, protagonizando uma atitude que reflete e representa os valores e os grandes propósitos que enquadram a atividade da Fundação.

O Ciclo Mundo, que vai para a sua 5ª edição, pretende gerar sinergias e oferecer ao público uma proposta musical intercultural, intergeracional e universalista, com fortes raízes nas culturas populares, numa Lisboa multicultural, posicionando-se como um espaço plural que acolhe e celebra o legado intangível da Humanidade, reafirmando e projetando o seu respeito pelas tradições culturais.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo
error: Content is protected !!