ciênciaportugalsaúde

Docente do IPS premiada por investigação em Terapia da Fala

Ana Paula Mendes, docente da Escola Superior do Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal (ESS/IPS), conduziu uma investigação que acaba de ser distinguida com o prémio de Melhor Artigo Científico pela Revista Portuguesa de Terapia da Fala (RPTF) referente a 2020.

O artigo, intitulado “Práticas e Competências de Investigação do Terapeuta da Fala em Portugal”, resultou de um trabalho desenvolvido pela equipa da Comissão de Inovação e Desenvolvimento (CID) da Sociedade Portuguesa de Terapia da Fala (SPTF), presidida pela docente entre 2017 e 2020.

“Sendo a investigação científica o motor do desenvolvimento clínico, tornou-se relevante questionar como se sentiam os terapeutas da fala portugueses relativamente às suas competências de investigação”, contextualiza a investigadora.

O estudo analisou as respostas a um questionário online, no qual participaram 86 terapeutas da fala com prática clínica em Portugal. Os resultados revelaram que a carga horária destes profissionais é maioritariamente clínica (59,6%), sendo a investigação científica uma das práticas com menor carga horária dedicada (9,8%). Contudo, a maioria dos terapeutas da fala inquiridos reportou estar envolvida em projetos de investigação (53,5%).

Pós-doutorada em Ciências da Fala, Ana Paula Mendes lecionou igualmente na Universidade de Aveiro e nas universidades da Flórida e Indiana University of Pennsylvania, nos Estados Unidos, país onde também desenvolveu prática clínica em terapia da fala. É responsável pela criação de vários instrumentos de Linguagem, Fala e Voz, como a ESFALA – Escala de Desenvolvimento dos Sons da Fala e a EAVOCZ – Escala de apreciação da voz cantada, esta última publicada em três línguas.

Sobre este prémio, que partilha com os coautores Miriam Moreira, David Guerreiro, David Nascimento, Inês Tello Rodrigues e Vânia de Aguiar, refere a importância de “sermos reconhecidos pelo que fazemos, com tanto gosto e ao mesmo tempo com sacrifício”. E destaca ainda que a “excelência do resultado final se deve à dinâmica da equipa: respeitando as características individuais e autónomas de cada um, que se transformam num grupo com potencialidades exponenciais”.

O Prémio RPTF é uma distinção de incentivo à investigação científica, sendo atribuído anualmente pela Associação Portuguesa de Terapeutas da Fala (APTF) a autores seus associados que tenham publicado artigos científicos na Revista Portuguesa de Terapia da Fala (RPTF).

Follow us on social media: Instagram; Facebook; Twitter; Youtube.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo
error: Content is protected !!