banner-spotlightconcertos/músicaculturalusofonia

Etímba Festival celebração da musica e solidariedade

Realizou-se no Espaço Espelho d’Água, em Belém, uma festa da musica, com artista de dois continentes unidos por uma causa comum, construção da biblioteca comunitária do Lobito em Angola.

A Biblioteca Comunitária será para construir na província de Benguela, Município do Lobito, Bairro 27 de Março /Lixeira, e pretende combater as desigualdades sociais elevar o nível de desenvolvimento intelectual das crianças, adolescentes e jovens ideia que partiu de um menino que enviou um email, Eduardo Gumbe.

A 4.ª edição do Etimba Festival vai ser emitida por streaming entre Luanda e Lisboa todos os sábados do mês de junho, com o objetivo de “celebrar a arte africana e o encontro da diáspora”.

O cartaz da quarta edição será composto por artistas de diversas áreas, música, cinema, teatro e artes plásticas. Com actuações nos palcos de Luanda e Lisboa.

Vários mini concertos que celebram Africa na diáspora que contaram com a presença em Lisboa de Prince Wadada, Irina Vasconcelos, Yuri da Cunha, Alba Nigra, Chálo Correia, B-SKilla e Gilmário Vamba que nos levou ao palco muito humor, com inteligência e boa disposição.

Distribuídos poe 2 dias, primeiro com Alba Nigra, Prince Wadada e a espectacular Irina Vasconcelos, que encheram o palco de boa musica.

Alba Nigra de que fazem parte Marku Peão e Edwinson Pinho um projecto ainda recente mas com boa musica que abriu o festival com muita qualidade. Subiu depois ao palco Prince Wadada, músico, compositor e produtor, que com o seu ritmo reggae e simpatia, contagiou todo publico presente.

Seguiu-se Gilmário Vemba, que levou para o palco o seu humor inteligente, a sua boa disposição, por seu turno o publico encheu a sala de sorrisos e gargalhadas.

A noite terminaria com Irina Vasconcelos, cantora e compositora e uma das fundadoras deste festival, levou ao palco o seu rock fusion jazz, que lhe tem granjeado vários prémios. Durante a actuação de Irina, Mestre Cabuenha, contou-nos a história de Deus, do Sol da Lua e do Homem.

Irina Vasconcelos, ainda nos concedeu uma pequena entrevista sobre este projecto.

O segundo dia começou com B-SKilla, seguido por Chálo Correia e terminou com o Yuri da Cunha.

B-SKilla, rapper e MC da Margem Sul, abriu o segundo dia do Festival, apaixonado pela cultura Hip Hop, B-Skilla cedo começou a compor e a expressar as suas ideias através do Rap.

Seguiu-se Chálo Correia um dos ícones da música angolana, esteve presente na companhia de Galiano Neto nos coros e percussão e Débora Aguiar, jovem talento que muito vaio dar que falar na cena musical angolana e não só.

Para terminar o segundo dia e as gravações em Lisboa subiu ao palco Yuri da Cunha, cantor angolano, vencedor de vários prémios em Angola e que actou o mês passado com Paulo Flores no Coliseu dos Recreios.

O 4.ª edição do Etimba Festival poderá ser vista em streaming  a 18 a 26 de Junho pela plataforma musickoolnet e televisão pela RTP África, instale e veja o festival e apoie este projecto.

Siga-nos nas redes sociais como o Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e TikTok e veja os nossos conteúdos exclusivos.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo
error: Content is protected !!