eventosfestivais

Festival Jardins do Marquês, palco Nortada com programação completa

Junho / julho de 2023 Jardins do Marquês, em Oeiras

Programação completa do Palco Nortada, para desfrutar de cada dia do Festival em pleno: A COR DO SOM, ACÁCIA MAIOR, CIGANOS D’OURO, DIANA CASTRO, JORGE FERNANDO, JOVEM DIONÍSIO, MILHANAS, NUNO LANHOSO, OLAVO BILAC apresenta “Celebrar José Cid”, PICAS, ROBERTA SÁ, SORAIA TAVARES, TIAGO NACARATO, VIVA O SAMBA LISBOA.

O Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley está de regresso aos jardins do Marquês. em Oeiras para a 3ª edição, com mais uma série de noites de verão imperdíveis, mantendo a fórmula de sucesso com propostas cheias de charme e sofisticação, indo ao encontro de um público adulto e exigente.

Além das propostas no palco principal, cuja programação está já completa, desde 2022 que o Festival oferece ainda um segundo palco, o Palco Nortada, com dois concertos por noite intercalados com os concertos do palco principal, dando assim a possibilidade ao público de assistir a quatro concertos em cada data do Festival.

A programação deste palco está também já completa, destacando-se pela qualidade e diversidade das propostas: Jorge Fernando, Soraia Tavares (27 de junho), Ciganos D’Ouro, Acácia Maior (28 de junho), Viva o Samba Lisboa, Nuno Lanhoso (29 de junho), Jovem Dionísio, Roberta Sá (30 de junho), A Cor do Som, Diana Castro (1 de julho), Olavo Bilac apresenta “Celebrar José Cid”, Picas (2 de julho), Tiago Nacarato e Milhanas (5 de julho) são os nomes que vão passar pelo Palco Nortada dos Jardins do Marquês – Oeiras Valley .

Música e cerveja parecem estar constantemente de mãos dadas, e o Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley é uma excelente oportunidade para oferecer uma experiência diferente. Para a Nortada, ser naming sponsor de um palco, pelo segundo ano consecutivo, eleva a marca para um patamar diferente, apresentando-se a um público mais disponível, oferecendo-lhe uma experiência cervejeira diferente e premium, contactando com produtos diferenciados, como é a cerveja artesanal. Enquanto marca com uma forte componente de cultura cervejeira, a Nortada vai proporcionar um contacto diferente com a cerveja, através do Nortada Beer Garden, e promover brindes perfeitos, em 7 noites de verão, nos Jardins do Marquês em Oeiras.

27 de junho

JORGE FERNANDO

Ao longo de mais de quarenta anos de carreira musical, como cantor, músico, compositor, letrista e produtor, a história de Jorge Fernando já se confunde com a história do próprio fado. Discípulo de Fernando Maurício, companheiro de estrada de Amália Rodrigues, o músico já assinou inúmeros clássicos para a sua própria voz e para a voz de muitos outros artistas. “Boa Noite Solidão”, “Trigueirinha”, “Búzios”, “Quem Vem ao Fado”, “Chuva”, “Rosas Brancas para o Meu Amor” ou “Guitarra” são alguns dos temas mais marcantes de uma carreira cheia de sucessos. Além do percurso enquanto intérprete e compositor, Jorge Fernando também se tem destacado ao longo dos anos pelo seu trabalho enquanto produtor de artistas como Mariza, Ana Moura ou Fábia Rebordão. Além deste trabalho com os outros, Jorge Fernando já deixou a marca única da sua voz na história do fado e da música portuguesa. Com treze trabalhos discográficos editados em nome próprio, continua a desafiar-se e a querer fazer mais e melhor. “De Mim Para Mim”, disco editado em 2018, é um belo exemplo disso. O músico vai levar esses temas mais recentes e também os clássicos de sempre ao Palco Nortada do Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley, no dia 27 de junho.

SORAIA TAVARES

Soraia Tavares tem o carisma das grandes estrelas e uma voz que lhe permite sonhar alto. Com origens cabo-verdianas, a cantora promete sair de Carnaxide para conquistar o mundo. A música sempre fez parte da sua vida, assim como o desejo de se expressar artisticamente, desde os tempos em que cantava na igreja até às primeiras aventuras no teatro musical. Neste percurso nunca deixou de lado a formação, uma consciência que fez com que estudasse teatro e cinema, acrescentando novos conhecimentos e experiências à sua formação artística. A sua praia sempre foi a música soul, elegendo artistas como Beyoncé, Alicia Keys, HMB, Etta James ou Rui Veloso para suas maiores influências. Depois da participação no programa The Voice na RTP, ficou ainda mais evidente que Soraia Tavares é um talento que vai deixar rasto na música portuguesa. Temas como “As Cinco Coisas Que Nunca Te Disse” prometem conquistar o público presente no Palco Nortada, no dia 27 de junho.

28 de junho

CIGANOS D’OURO

Os Golden Gypsies, ou Ciganos D’Ouro, surgiram em 1994 por iniciativa dos irmãos José Pato e Sérgio Silva. 1996 foi o ano do álbum de estreia “La Casa” após os sucessos de “Gitanita vem” e “Oh mi amor”. Nessa altura começaram a trabalhar como colaboradores regulares do surpreendente guitarrista flamenco Francisco Montoya. Ao longo dos 24 anos da sua carreira, o grupo tem apresentado o seu trabalho em festivais internacionais de música em diversos países, como Bélgica, França, Espanha, Holanda, China, República Checa, Macau ou Finlândia. O DNA da banda é definitivamente o Flamenco e o Cante Hondo. O resultado desta fusão originou até agora oito discos de originais e ainda uma compilação “Best Of”. O grupo está atualmente a trabalhar o seu 9º álbum de estúdio. Os Ciganos D’Ouro cruzam a sua matriz flamenca com elementos de diversas origens e linguagens musicais, como o fado, o tango, a rumba, o bolero, a morna, o jazz e a música dos balcãs, o que resulta numa fusão explosiva e num som original e apelativo. A banda formada por José Pato (vocalista e violão), Sérgio Silva (voz e violão) e Francisco Montoya (solista de guitarra) continua a conquistar os palcos nacionais e internacionais. E é isso que vai acontecer no próximo Jardins do Marquês – Oeiras valley, no dia 28 de junho, no Palco Nortada. 

ACÁCIA MAIOR

Acácia Maior é um coletivo de músicos criado por Henrique Silva e Luis Firmino, raízes e tronco desta árvore que começa agora a florescer no horizonte musical cabo-verdiano. Acácia, uma árvore predominante nas ilhas de Cabo Verde, tem raízes bem firmes no terreno tradicional, mas também ramos e folhas estendidas para o universo. Essa imagem traduz a liberdade das composições que se expressam nos mais variados estilos musicais. Do Reggae ao Zouk, da Morna à Mazurca, do Hip-Hop ao Funaná, Acácia Maior é um projeto que aparece como um testemunho de liberdade e criatividade nestes tempos por vezes mais sombrios. Assim, criação, fusão e tradição são o mote para esta viagem sem fronteiras de um coletivo que, a cada obra, reúne artistas de diversas áreas em todo o processo, da escrita à masterização. Depois de vários singles, o grupo editou o seu disco de estreia, “CIMBRON CELESTE”, em março de 2023, propondo uma viagem por toda a riqueza artística de Cabo Verde. Acácia Maior é este projeto independente que promete conquistar o coração do público presente no Palco Nortada, no dia 28 de junho.

29 de junho

VIVA O SAMBA LISBOA

O projeto musical Viva O Samba foi fundado em 2015 pelos músicos brasileiros, Cícero e Humberto Matheus, com o propósito de promover um pouco da cultura musical brasileira em terras lusas e reunir família, amigos e público ao redor de uma autêntica roda de samba onde toda a gente se olha, dança e canta em conjunto. Além dos frequentadores do costume, centenas de turistas das mais variadas nacionalidades são atraídos todos os domingos pela alegria democrática e contagiante do samba. Estima-se que, nos últimos 5 anos, mais de 50 mil pessoas já tenham participado da roda de samba mais famosa da capital. Além de organizar os seus próprios concertos, o grupo ajuda a movimentar a cena cultural da cidade através da criação e coordenação de projetos como o bloco de carnaval, Lisbloco, e o Festival Viva o Samba Lisboa. Estes eventos ajudam a materializar o principal objetivo do grupo que é promover uma atmosfera de inclusão cultural e preservação da cultura do samba. Em 2023 o Viva O Samba prepara-se para lançar o seu primeiro álbum independente. “NA LABUTA” irá contar com várias participações especiais e muitas novidades. E este samba que se sente tão bem em Portugal volta a mostrar-se em mais um Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley, dia 29 de junho, no Palco Nortada.

NUNO LANHOSO

Nuno Lanhoso, cantautor portuense de 30 anos, cedo descobriu o seu fascínio pela música e pela escrita num velhinho piano em casa dos seus avós. Mais tarde, com 14 anos, virou as atenções para a guitarra e desde então nunca mais parou. Apaixonado por ambos os instrumentos, procura ver beleza e poesia na simplicidade do quotidiano e transcrevê-la para canções, tentando que cada palavra tenha um propósito e cada frase uma intenção. Inspirado por diversos artistas nacionais e internacionais, desde Abrunhosa e Bettencourt a John Mayer, parte à busca da melodia e frase perfeita, esperando no fundo, nunca encontrá-la. Mudou-se para Barcelona com 18 anos para estudar medicina e foi nessa cidade que começou a tocar ao vivo, lutando para vencer a timidez que sempre o dominou. Depois de acabar o curso foi colocado no Algarve para fazer o ano comum, sempre conciliando com a vida de músico em bares e hotéis. Seis meses depois, com 28 anos, fez uma pausa no hospital e tem vivido da música desde então, levando cada vez mais a sério a arte da escrita e da composição. Em 2022 editou o seu álbum de estreia: “Mitos e Nicolaus”. E agora espera mostrar esse repertório com todos aqueles que passarem pelo Palco Nortada, no dia 29 de junho.

JOVEM DIONÍSIO

Versatilidade, irreverência, peculiaridade e hits uns atrás dos outros – é assim que o projecto Jovem Dionísio tem conquistado o Brasil com uma linguagem moderna e uma sonoridade que passeia entre o pop, a eletrónica e o rap. Definem-se com uma uma espécie de “boys band de boteco”. O grupo nasceu e foi criado em Curitiba, com uma música que bate na alma de um público fiel e cada vez maior. Isso pode ser notado nas enormes filas para o camarim com fãs tatuados com a cadeirinha, a marca registrada do grupo, ou até com versos marcantes das canções. Mesmo isolado, o grupo foi companhia de muita gente durante a pandemia e viu os números crescerem absurdamente durante esse período tão complicado. Os 20 mil ouvintes mensais só no Spotify já se tornaram mais de 6 milhões após o lançamento do primeiro disco: “Acorda, Pedrinho”. A faixa título já ultrapassa os 25 milhões de plays nesta plataforma e o vídeo já tem mais de 16 milhões de visualizações no YouTube. A faixa ganhou o Tik Tok, foi trending topic do Twitter e alcançou o topo da lista das mais viralizadas do mundo e das mais tocadas no Brasil. Como se percebe, os números conquistados nas plataformas digitais impressionam, mas guardam o melhor para o palco, com performances impactantes e verdadeiramente inesquecíveis. Estes rapazes voltam a trazer a Portugal todo o sucesso de “Acorda, Pedrinho”. Jovem Doinísio atua dia 30 de junho, no Palco Nortada.

ROBERTA SÁ

Há 17 anos Roberta Sá impactava o cenário musical brasileiro com o lançamento de “Braseiro” (2005), o seu primeiro álbum, cuja recepção foi marcada por elogios da crítica especializada. De lá para cá, a cantora desenvolveu uma trajetória sólida através de trabalhos com forte presença de ritmos e compositores brasileiros. Do regional ao pop, passando por sambas e forrós, Roberta revelou artistas, homenageou clássicos e partiu para longos quilómetros de estrada com uma assinatura própria. Numa nação conhecida como o “país das cantoras”, Roberta tornou-se uma referência incontestável entre as intérpretes brasileiras. Discos como “Que Belo Estranho Dia Pra Se Ter Alegria”, “Quando o Canto é Reza”, “Segunda Pele”, “Delírio”, entre outros, marcam o melhor da música brasileira nos últimos vinte anos. Depois de várias nomeações para prémios, como o Grammy, e de ter conquistado o carinho do público e a admiração da crítica, Roberta Sá nunca parou de arriscar e de surpreender. Ao longo da carreira, já dividiu concertos, gravações e apresentações especiais com nomes como António Zambujo, Chico Buarque, Gilberto Gil, João Bosco, Joyce Moreno, Zeca Pagodinho, Alcione, Martinho da Vila, entre tantos outros. O samba fez sempre parte da trajetória de Roberta Sá. E um importante capítulo dessa história foi escrito com “Sambasá”, um projeto cozinhado em 2021 e que acabaria por resultar em disco no ano de 2022, com participações especiais de Zeca Pagodinho e Péricles. E em 2023, depois da sua licença maternidade, Roberta Sá volta aos palcos com o lançamento de “Sambasá – Ao Vivo”. E também não faltará samba no concerto preparado para o dia 30 de junho, no Palco Nortada.

1 de julho

A COR DO SOM

A Cor do Som é uma banda formada por Dadi Carvalho (baixista e compositor), Armandinho Macêdo (guitarrista, bandolinista e compositor), Mú Carvalho (pianista, compositor e produtor musical), Ary Dias (percussionista e compositor) e ainda Gustavo Schroeter (baterista). E essa formação mantém-se intacta, depois de 14 discos e um DVD editados, e uma série de outros marcos ao longo de mais de quatro décadas de carreira. Tanto na música gravada como nas suas apresentações ao vivo, A Cor do Som traz participações especiais de artistas como Caetano Veloso, Daniela Mercury, Moraes Moreira, Gilberto Gil, Roupa Nova, 14 Bis, Lulu Santos, Natiruts, Djavan, Paulinho Moska, Samuel Rosa, Flávio Venturini, entre muitos outros. A Cor do Som conquistou um Grammy Latino em 2021 na categoria de melhor álbum de rock ou música alternativa em língua portuguesa com o disco “Álbum Rosa”. Temas como “Menino Deus”, “Abri a Porta”, “Palco”, “Zanzibar”, “Beleza Pura” e “Semente do Amor” prometem conquistar o público português no concerto agendado para o dia 1 de julho no Palco Nortada.

DIANA CASTRO

Diana Castro está a dar os primeiros passos como cantautora, mas a sua carreira na música já começou há algum tempo. Ficou num honroso segundo lugar no The Voice e depois disso compôs e lançou um EP, “A Espera” (2021). Foi a intérprete escolhida por Joana Espadinha para cantar a sua “Ginger Ale” no Festival RTP da Canção 2022 e foi depois convidada por Maro para ir à Eurovisão juntar-se à artista que representou Portugal nesse ano. Editou, entretanto, três singles continuação de três canções do seu EP e adiantou ainda “Alguém Tem De Sair”, single do seu primeiro álbum, “princípio, meio e princípio”. O álbum de estreia de Diana Castro conta com a colaboração de Luísa Sobral e foi editado em janeiro de 2023, com o single de apresentação “se queres voar”. Neste álbum, Diana reflecte sobre “ser mulher, ser mãe, ser artista, ser ciclo em constante transformação.” Um dos nomes mais promissores da música portuguesa passa pelo Palco Nortada, no dia 1 de julho.

2 de julho

OLAVO BILAC apresenta “Celebrar José Cid”

“Celebrar José Cid” é um projecto que Olavo Bilac pensou, criou e trabalhou para homenagear um músico ainda em vida. Esse músico é o incontornável José Cid. Olavo Bilac, uma das vozes mais emblemáticas do panorama musical português, desenhou este projecto centrando o seu trabalho em torno dessas canções incontornáveis que todos conhecem e que cantam, aqui com uma nova sonoridade emprestada pela sensibilidade de Olavo Bilac. Este é um espetáculo intimista onde o piano, o acordeão, o trombone e a voz incontornável de Olavo Bilac prometem encantar o público, pronto para celebrar todo o repertório de José Cid. Esta celebração passa pelo Palco Nortada no dia 2 de julho.

PICAS

É com uma guitarra que Picas melhor se expressa, com melodias doces e poemas-canção. Foi no seu quarto, com apenas quinze anos, que esboçou as suas primeiras canções e aprendeu os primeiros acordes. Apaixonada pelo universo da escrita e das artes, licenciou-se em Ciências da Comunicação com especialização em Cinema e, ainda durante a licenciatura, estudou Jazz no Hot Clube de Portugal, onde aprofundou a sua relação com a música. Em 2020, participou no The Voice Portugal onde se deu a conhecer como intérprete. Agora Picas apresenta-se como compositora e letrista na sua língua materna, com os seus dois primeiros singles: “Orquídeas” e “Volta Para Mim” (em parceria com AGIR). Picas, um nome para seguir com toda a atenção, promete conquistar o público presente no Festival Jardins do Marquês – Oeiras Valley. A jovem compositora e cantora atua no dia 2 de julho, no Palco Nortada.

5 de julho

TIAGO NACARATO

Tiago Nacarato é um dos cantautores mais completos e coerentes da música portuguesa actual, a quem se vaticina uma longa e sólida carreira. Conta já com digressões europeias, brasileiras e em território nacional, afirmando-se, assim, como um dos mais relevantes artistas portugueses contemporâneos. Depois de causar furor no panorama musical português com o lançamento do seu primeiro disco de originais “Lugar Comum” (2019), Tiago Nacarato editou em 2022 o seu segundo álbum de originais: “Peito Aberto”. Este registo é assumidamente inspirado em referências das culturas latinas e africanas, com um toque de música do mundo. O álbum promete consolidar o estatuto de Tiago Nacarato como um dos maiores talentos que o país tem para oferecer, num disco repleto de emoção, ritmos dançantes e canções que não deixam ninguém indiferente. Este álbum valeu ao cantautor o prémio Andrea Parodi para Albo D’Oro (Álbum de Ouro) em 2022. Com uma poesia focada no quotidiano do artista e no que observa da situação económica e política do mundo, “Peito Aberto” é um espaço de tempo cheio de surpresas. E esse espaço passará a ser de todos aqueles que passarem pelo Palco Nortada no dia 5 de julho.

MILHANAS

Milhanas, nascida em 2001, começou a estudar música desde muito pequenina. Estudou violino, técnica vocal, fez parte de um combo jazz e outro de música moderna, participou no coro gospel, e continuou a formar-se em história da música, composição e ainda teatro musical. Inspirada pela vida do pai, Milhanas elege Fausto como a sua maior influência musical, uma vez que o pai produzia e atuava com Fausto. No secundário estudou Humanidades e foi aí que despoletou a sua paixão pela literatura. Lançou o seu primeiro tema original, “Lamentos”, em 2021. Neste canto triste, nascido numa madrugada, Milhanas reclama os seus lamentos e chora a urgência de se sentir em paz, revelando uma alma fadista. A artista confessa que, embora não sendo fadista, é ao fado que vai beber inspiração e relembrar-se da importância da palavra, do silêncio e da interpretação. Em 2023 editou o seu segundo single: “Mais que ao Sol”. A letra expressa um amor de submissão e sem liberdade, nas palavras de Milhanas. Esta música antecipa o disco de estreia da artista e será certamente um dos temas ouvidos pelo público no dia 5 de julho, no Palco Nortada.

Confirme sempre junto da sala de espetáculos ou promotor as condições de acesso, confirmação da data ou horário, local de venda dos bilhetes, preço e disponibilidade.

Siga-nos nas redes sociais como o Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e TikTok e veja os nossos conteúdos exclusivos

Please follow and like us:
Pin Share
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Botão Voltar ao Topo
error: Content is protected !!