concertos/músicacultura

LEFTY – Apresentam o disco de estreia “Andrómeda” em Almada

Cine Incrível - 22h00

This post is also available in: English (Inglês)

Os LEFTY são um quarteto poderoso de pop rock, com Leonor Andrade na voz, João Nobre no baixo, Pablo Banazol nas guitarras e Dani na bateria, com origem naquela clássica e inspiradora garagem/sala de ensaio.

Almada viu-os nascer e crescer como banda e é a sua “casa”. Foi também nesta cidade, nos estúdios Ponto Zurca, que o grupo gravou o seu álbum de estreia “Andrómeda” e onde cria e ensaia com regularidade.

E chega o momento de se apresentarem ao vivo, em nome próprio, em Almada, no emblemático Cine Incrível, no próximo dia 25 de fevereiro. Os LEFTY irão tocar o novo disco na sua totalidade, com a energia de quem se encontra com o público, na cidade que os acolhe e inspira.

Em palco, a mensagem sonora dos LEFTY é densa, crua e rude; vem das entranhas. A dinâmica do alinhamento é em constante crescendo, havendo espaço para um momento único e intimista protagonizado por Leonor Andrade e Pablo Banazol, só voz e guitarra, para respirar um pouco, mas só mesmo um pouco. Os LEFTY não dão tréguas e são uma explosão interpretativa; puro rock e muita atitude.

Os bilhetes para este espetáculo têm o custo de 10€ e podem ser adquiridos no Cine Incrível de quinta a sábado das 22h às 02h, por MBWay 965210300 ou ainda na Drogaria Central de quarta a domingo das 14h às 22h.

Em fevereiro, os LEFTY preparam-se ainda para lançar um novo single & vídeo, retirado do seu álbum de estreia “Andrómeda“.

O espetáculo da banda no Festival Siga em Faro já tem nova data marcada, a 5 de Março, na Associação Recreativa e Cultural de Músicos. Os LEFTY irão partilhar o palco com Carlão.

25 DE FEVEREIRO
ALMADA – CINE INCRÍVEL – 22:00

5 DE MARÇO
FARO – FESTIVAL SIGA – 21:30
Associação Recreativa e Cultural de Músicos

SOBRE O DISCO “ANDRÓMEDA

Andrómeda”, disco de estreia dos LEFTY, foi editado no passado dia 1 de outubro em formato físico e digital e conta com letras de Leonor Andrade e composição de João Nobre que partilha também a produção com João Martins dos estúdios Ponto Zurca.
A masterização ficou a cargo de John Davis, responsável pela masterização de discos de De La Soul, Gorillaz, The Killers, Noel Gallagher, Dua Lipa, entre muitos outros artistas de renome e foi realizada nos estúdios Metropolis em Londres.

O nome deste disco está intimamente ligado com vários dos conceitos e lendas associados a Andrómeda, não só em relação à mitologia grega, mas também em relação à astrologia.
A estética de uma galáxia é, já de si, inspiradora e corresponde a um ecossistema próprio que une os membros da banda em torno de um imaginário e conceito. Quanto à mitologia, Andrómeda foi salva dos braços de um monstro por amor e, este trabalho de estreia, não poderia ser mais demonstrativo do amor que o quarteto tem em estar junto a criar música.

O som dos LEFTY remete-nos para as bandas de garagem do final dos anos 80, início dos anos 90, numa mistura peculiar entre o punk, a new wave e a pop; um som mais cru, mais direto, sustentado pelo nervo das palavras, do baixo, da guitarra e da bateria! Se, no entanto, houver alguma dúvida de que os LEFTY são uma banda dos anos 20 do século XXI, a sua atualidade é assegurada pela produção, assente na robustez e texturas sonoras que abrem caminho para um novo pop rock – o deles próprios.

Tal como acontecia na década de 80/90, os LEFTY pretendem recuperar alguns dos hábitos associados ao consumo de música à época, incluindo a precisão no alinhamento do disco que convida a uma audição completa, contando uma história com princípio, meio e fim; é ter tempo para sentar no sofá, ouvir o disco, não deixando escapar cada detalhe e cantá-lo de fio a pavio.

Para os mais curiosos, LEFTY (canhoto ou canhota = que ou quem tem maior habilidade com o lado esquerdo do corpo, em especial com a mão, do que com o lado direito) é uma homenagem a Maria da Luz, mãe de João Nobre, por em criança ter sido obrigada a contrariar a destreza inata em escrever com a mão esquerda. Tornou-se destra por obrigação, ambidestra por teimosia.

Por teimosia em fazer música e em fazer pop rock, os LEFTY pretendem levar o novo “Andrómeda” a palcos de todo o país.

Siga-nos nas redes sociais como o Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e TikTok e veja os nossos conteúdos exclusivos.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo
error: Content is protected !!