culturamúsica

Maria Mendes novamente nomeada para o Grammy americano

Maria Mendes foi nomeada para os Grammy Awards americanos, juntamente com John Beasley na categoria MELHOR ARRANJO PARA VOZ E INSTRUMENTOS (BEST ARRANGEMENT INSTRUMENTS AND VOCALS) com a canção Com que Voz, do álbum editado em outubro de 2022, Saudade Colour of Love.

Esta é a segunda vez que Maria Mendes é nomeada para o Grammy americano, tendo sido também nomeada duas vezes para o Grammy latino.

MARIA MENDES REAGE ASSIM A ESTA NOMEAÇÃO

“Que honra e felicidade receber mais uma nomeação ao Grammy Americano! Ainda mais especial vivenciar estas notícias em Sevilha, onde me encontro para celebrar a minha música e nomeação ao Grammy Latino na cerimónia de entrega dos prémios a acontecer já em poucos dias.

Continuo ainda em êxtase com este trabalho musical e equipa que abraçou este meu projecto e visão musical de explorar e interpretar o Fado ao jeito Jazz, enaltecendo todas as minhas particularidades que tanto em palco como em discos primo para que sejam pertinentes: as sonoridades apaixonantes, aventureiras e surpreendestes que envolvam o ouvinte numa aventura musical sem barreiras estilísticas. E é Tão recompensador sentir que a comunidade artística musical valoriza e confia no que transmito com a minha música.

Esta é uma indicação que recebo em meu nome mas que partilhado com imensa gratidão com cada um destes 30 músicos – a minha banda, o meu produtor, orquestrador e co-arranjador John Beasley e a soberba Metropole Orkest.

Sempre soube que o “Com que Voz” era “aquela” canção especial, um género de portal dimensional para algo inovador e belo! São emocionantes, a poesia existencialista do Camoes e as harmonias e melodias do Alain Oulman! Há canções que dialogam connosco no momento de as trabalhar em arranjos musicais. E esta foi uma delas, de uma fluidez sublime chegar a este resultado final onde a orquestra, a voz, a poesia, a banda, todos nós brilhamos!

É uma inspiração estar lado a lado com compositores colegas que tanto admiro, nesta categoria. Um motivo de orgulho de esta ser a única canção cantada em Português! E uma alegria partilhar esta indicação com o John Beasley, com quem divido a autoria deste arranjo musical gravado no meu novo disco Saudade, Colour of Love”.

Maria Mendes foi a primeira artista feminina Portuguesa a receber uma nomeação para o Grammy Americano bem como a primeira a vencer o prémio mais importante de Musica Holandês, o EDISON.

Saudade Colour of Love é o quarto trabalho discográfico em que a cantora explora o Jazz no Fado em temas de sua autoria bem como em arranjos musicais fascinantes dos fados e canções tradicionais portuguesas como o “Quando Eu Era Pequenina” e o “Verdes Anos” do Carlos Paredes. Este disco conta também com uma surpreendente contribuição do Hermeto Pascoal que dedicou uma canção à cantora – a sua versão de um Fado. O álbum encabeçou a lista de melhores discos de jazz 2022 em cinco das principais revistas de jazz internacionais – a prestigiante americana DOWNBEAT e Jazziz; a inglesa JAZZWISE; a alemã JAZZTHING e a holandesa JAZZISM.

Saudade Colour of Love deu também origem a uma digressão que está disponível para Portugal. Este ano, Maria Mendes apresentou-se algumas vezes nosso país com o seu quarteto e, em alguns casos, com o acompanhamento de uma orquestra.

Siga-nos nas redes sociais como o Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e TikTok e veja os nossos conteúdos exclusivos.

Please follow and like us:
Pin Share
Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo
error: Content is protected !!