banner-spotlightconcertos/músicaculturadestaque

Zé Maria, apresentou o seu primeiro álbum “Zé Maria”

CCB

Zé Maria, uma das vozes mais promissoras dos fado, quando entrou no Pequeno Auditório do CCB, já tinha conquistado a sala, o fans que lotaram a sala, já conheciam as suas musicas, já se tinham rendido ao fadista, uma noite que o fadista de certo não esquecerá, mas o publico também não.

Foi com “Revelação“, musicado por Mário Pacheco seguido por “A Ponte dos Desejos” que o concerto se iniciou, foi um fadista emocionado que se dirigiu ao publico “Muito obrigado, é uma grande alegria e emoção estar aqui esta noite, obrigado a todos por  terem vindo, incluindo os que estão a ver através do streaming, ao Museu do Fado. e ao CCB por este convite, é uma grande alegria estar aqui“.

Zé Maria > CCB ©Luís M. Serrão – iNeews < 2022.02.26

Zé Maria cantou então um dos primeiros fados que cantou, e que o tem acompanhado, nas palavras dos artista, curto percurso que o levou até ao CCB nesta noite, “O Arraial“.

Com a chancela do Museu do Fado Discos, o primeiro álbum está cheio de composições sentidas mas também alegres, de um fado amadurecido e tradicional, que deslumbra desde o primeiro acorde, de originais assinados por Carminho, Mário Pacheco, Pedro de Castro, Tiago Torres da Silva e pelo próprio fadista, que têm percorrido algumas das mais emblemáticas casas de Fado de Lisboa.

Zé Maria, sobre o tema do álbum de que é autor, mencionou que “é um bonito exemplo, de como a musica e arte, as coisas bonitas, são melhores se forem contruídas em conjunto, com o esforço conjunto, e desde já com a ajuda destes brilhantes músicos”, que o acompanharam no disco e em palco, à guitarra portuguesa por Pedro de Castro, também responsável pela produção musical do disco, por João Filipe na viola de fado, e Francisco Gaspar na viola baixo.

O fadista declarou ainda que “uma coisa que sempre me impressionou muito no fado, e que até esteve um bocadinho na origem de querer ser fadista, foi esta qualidade que o fado tem de ser tão intimo, e vê-se nas casas de fado, e no fado tradicional, o fado permite uma abertura de coração grande entre quem está a cantar e quem está a ouvir, e uma partilha muito verdadeira e profunda“.

Zé Maria > CCB ©Luís M. Serrão – iNeews < 2022.02.26

Zé Maria, disse ainda que foi incorporando outros estilos musicais, e a musica brasileira, em especial a bossa nova, dizendo que teve muita importância no seu percurso musical, e cantou, com musica de Tom Jobim e letra de Vinícius de Morais, “Por toda a noite” uma canção que sempre o tocou muito, e que ganhou um novo sentido quando conheceu a sua mulher.

Nascido e criado em Lisboa, numa família onde cedo teve contacto com o Fado e as Artes, abraçou a Pintura que lhe enche os dias, enquanto á noite deslumbra a cantar, nas casas de Fado de Lisboa.

Foi com um fado de Frei Hermano da Camara, que Zé Maria ia terminar a sua actuação no CCB, uma fado que segundo ele traduz muito a sua forma de estar no fado, mas claro o publico que o aplaudiu desde o primeiro minuto, queira mais, o fadista voltou, para brindar o publico com mais dois fados, terminando com “A Ponte dos Desejos” esta noite de excelente musica.

Alinhamento dos Disco

  • Mas Falta Escrever na Lua
  • Revelação
  • A Ponte dos Desejos
  • Papoilas [Corrido do Mestre Zé]
  • Já Soube um Dia a Maneira [Fado Pajem]
  • Túnica Negra
  • As Ondas
  • Sempre que Lisboa Canta
  • Tudo me Deixa [Fado Camélia]
  • Com Duas Cantigas [Fado Alcântara]
  • Se Assim Fosse
  • Por Toda A Minha Vida

Siga-nos nas redes sociais como o Facebook, Twitter, Instagram, Youtube e TikTok e veja os nossos conteúdos exclusivos.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo
error: Content is protected !!