cultura

PULSArte promove a inclusão através da cultura em Barcelos

Inserido no projeto “Cultura para todos numa cidade educadora inclusiva” surge o “PULSArte”, um programa que integra um conjunto de projetos artísticos, com vista à promoção do sentimento de pertença e ao desenvolvimento de competências e sensibilidades juntos de comunidades mais desfavorecidas, através do contacto com profissionais de áreas artísticas. Este contacto irá desenvolver-se através de oficinas de música, teatro, pintura e escultura, que irão contribuir para ampliar o espólio cultural e artístico da comunidade de Barcelos.

O “PULSArte” divide-se em duas vertentes: uma a desenvolver junto de crianças e jovens do centro de acolhimento da Casa do Menino Deus e outra com a comunidade de etnia cigana.

Junto das crianças e jovens do centro de acolhimento será criada a residência artística “Construção de esculturas sonoras: ‘estranhofones’”, que irá compilar ateliês de artes plásticas e de coreografias performativas. O projeto conta, ainda, com sessões de campo para registos sonoros na natureza, preparação e realização de uma performance e exposição de “estranhofones”.

O conceito de “estranhofones” foi desenvolvido pelo músico Samuel Martins Coelho e o cenógrafo César Estrela e está associado a “sons marginais” e outros barulhos aos quais não se presta muita atenção. As oficinas irão decorrer já entre os dias 2 e 5 de agosto, com as primeiras sessões.

Neste projeto, através da estimulação cultural e artística, os formadores irão procurar desenvolver nas crianças e jovens a curiosidade pelo som do meio envolvente.

Quanto à vertente a realizar com a comunidade de etnia cigana, esta irá acontecer ao longo de dois dias. Em ateliê, serão construídos instrumentos de percussão com materiais de uso diário, criados padrões rítmicos e feito um espetáculo de apresentação dos resultados.

O projeto “Cultura para todos numa cidade educadora inclusiva” consiste num vasto programa de atividades culturais a desenvolver em todo o Município, com particular foco na participação ativa de pessoas com menor facilidade de acesso à cultura e em maior risco de exclusão social, promovendo, por essa via, a sua inclusão. O projeto tem um financiamento de 392.656,00 € e integra o aviso “Nor-te-30-2019-34 – Cultura para todos”, colocado pelo PDCT (Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial) e gerido pela CIM Cávado.

Mostrar Mais

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Botão Voltar ao Topo
error: Content is protected !!